Google+ Followers

segunda-feira, dezembro 11, 2006

The Queen_ o filme: o meu comentário

Sou a comentar o filme "A Rainha":

1) O filme é sobre a morte de Diana Spencer, ex-princesa, e a perda de confiança do público (britânico, decerto, mas também mundial) na família real britânica.

2) Só isto, o que não sendo óbvio, não é pouco...

3) Freas (o realizador) tenta mostrar a família real como uma família normal, de carne e osso. Recorre ao sarcasmo, ao humor e a uma velada crítica.

4) Só o príncipe Carlos (e este apenas aparentemente) e a Rainha saem airosamente bem do filme. O príncipe Filipe e a princesa Ana são alvo de uma destruição de carácter ( o primeiro como tonto, adepto do protocolo e de hábitos anacrónicos - caça, por exemplo; a segunda como sendo hedonista e odiando Diana).

5) Carlos é apresentado como adepto da modernidade mas também como filho infiel que não hesita em trair a mãe para se por do lado da modernidade (Blair).

6) O papel atribuído a Blair corresponde ao senso comum deste como salvador, improvável, da sorte da família real. Algo exagerado, panegírico, na hora da despedida...
Note-se que tal como agora recusa ceder o seu lugar a Brown, chanceler do Tesouro (ministro das finanças), também à época não lhe atendeu o telefone em plena crise (mas atende todos os secretários da rainha ou do príncipe, o lorde encarregue do protocolo,...).

7) A Rainha

"O mais valioso activo da monarquia e uma dos mais valiosos de sempre", nas palavras da rainha-mãe nos jardins de Balmoral (uma das cenas do filme, quando mãe e filha passeiam juntas).

Uma velha senhora muito teimosa.Ciosa dos seus valores e pelos quais foi educada. Sacrificada em nome do Bem Comum. Uma mártir pelo povo britânico (veja-se a reacção de Blair ao seu chefe de staff).

Quando o Land Rover Defender parte a transmissão (metáfora da sucessão dinástica?) na travessia do ribeiro, ela olha por debaixo do veículo e exclama: gaita! (bugger!).

Uma figura maior que a vida, que a personagem da actriz Mirren tenta trazer, por vezes com sucesso, ao nível do comum dos mortais.

A forma como desculpa o seu comportamento, aparentemente frio e distante, com a reserva própria da educação que recebera e com o propósito de salvaguardar os netos...
Brilhante...

8) O filme é tendencialmente republicano, num tom que retira o sagrado da Família Real; mas desta forma retirando grande parte da sua razão de ser...

Ao mesmo tempo mostrando a Rainha como a única verdadeiramente especial e desvalorizando todos os demais... apela a um novo tipo de "monarquia": da sucessão dinástica para o monarca vitalício (mas não hereditário).

Depois de Isabel, não há verdadeiramente esperança.

Sem comentários: