Google+ Followers

segunda-feira, fevereiro 01, 2010

Debate sobre o Orçamento...hoje na OTOC...Sócrates mentiu...

http://www.linkedin.com/in/paulomarcos

Hoje na Ordem dos Técnicos Oficiais de Contas, o primeiro ministro disse que "não fomos surpreendidos com um déficit de 9,3% do PIB em 2009; tivémos esse déficit porque assim o quisemos...(...) foi uma opção política para apoiar as famílias, as empresas, o emprego..."

Idiotice, meu caro engenheiro. Por essas e por outras a Política, a mais nobre das artes para os clássicos, está tão mal cotada entre nós...As medidas que fala não chegaram senão em parte exígua às famílias e às empresas...mais de metade dos novos desempregados não têm subsídio de desemprego...os apoios à criação de emprego ou à internacionalização das empresas ou mesmo às obras públicas tiveram taxas de execução abaixo dos 25% do prometido...Meu caro José Sócrates, não trate os eleitores como idiotas, por favor. Aconteceu apenas que a recessão foi mais profunda que aquilo que previu...e as receitas fiscais caíram de uma forma muito mais acentuada...e por isso começou por prever em Março de 2009 um déficit de 2,2%, depois no final do Verão corrigiu para 6%, em Dezembro , nos primeiros dias, para 8,3%, no final do ano para 8,7% e já em Janeiro para o número "record" de 9,3%.

1 comentário:

Bessa disse...

Caro Professor... Concordo em absoluto consigo. Só os mais desatentos é que não tomam consciência da realidade politica que temos (e que elegemos)... Parece-me a mim (leigo na matéria), que só em Portugal, um Engº (ou não...)PM com tantos casos mediáticos e um governo(passado e presente) com tantas personalidades também mediáticas(enfim... problemáticas) possa ainda continuar... Não que deseje que o governo caia (a instabilidade é indesejada no meu ver)... Mas sim que alguém ponha cobro a todos os sujeitos que resolveram fazer carreira na Assembleia da República, e que hoje, já para além da idade da reforma dos 65 anos, continuam por lá a ocupar o espaço que já deveria ser de outros com mais formação e provas dadas de sucesso no mercado. O problema do déficit... Só os mais crentes poderiam acreditar que seria de baixo... Cumprimentos do seu aluno,

João Bessa Gomes